Entrevista com Tyson Fury: “Meu sparing é com catadores e bombeiros locais”

Entrevista com Tyson Fury: “Meu sparing é com catadores e bombeiros locais”

O atual campeão WBC, ex-detentor dos títulos restantes dos principais pesos pesados ​​(mais de 90,7 kg), o britânico Tyson Fury (30-0-1, 21 KOs) foi entrevistado em uma noite de boxe com o Queensberry Promotions.

Na conversa, Tyson Fury falou sobre sua atual dieta baseada em cerveja, a falta de treinamento e a falta de informações positivas sobre a organização da luta pelo título de campeão mundial absoluto contra o campeão unificado da Grã-Bretanha Anthony Joshua (24-1, 22 KOs). Tyson Fury também falou sobre o motivo do enfático pedido de desculpas, que se repetiu diversas vezes, após a derrota do ex-campeão dos EUA Deontay Wilder (42-1-1, 41 KOs) e prometeu destruí-lo ainda mais rápido em uma possível terceira luta.

Você está curioso para saber o que essa fera contou nessa entrevista? Confira abaixo tudo o que foi conversado com Tyson Fury.

Entrevistador:

– Como você se sente, mal pode esperar para começar a voltar aos trabalhos?

Tyson Fury:

– Não, eu não tenho treinado nada ultimamente. Já deu o que tinha que dar e larguei mão de ficar treinando como antes.

Entrevistador:

– [risos].

Tyson Fury:

– Eu não treino mais. Venho treinando desde dezembro de 2017. Mesmo depois da luta pelo título no dia seguinte, corri 16 quilômetros, fiz um milhão de exercícios abdominais, fiquei lá igual um maluco puxando peso o dia inteiro na academia. Agora estou fora das arenas por um tempo. Porque como eu disse, eu estava pronto. Eu venci Deontay Wilder no ano passado e não consegui outra luta. Nem precisamos falar sobre este episódio, pois todos sabem muito bem sobre o ocorrido. Só sei que atualmente, eu estou focado em absorver até 10 litros de Stella a cada 24 horas todos os dias.

Entrevistador:

– [risos] Até que não parece olhando pra sua cara.

Tyson Fury:

– Sim, eu não sou de ficar comendo o dia inteiro. Só mais à noite mesmo que recebo umas calorias extras.

Entrevistador:

– [risos] Talvez esse seja mais um passo para a luta com Josué. O que você pensa sobre a luta de vocês nesse momento?

Tyson Fury:

Posso beber 14 litros de cerveja e ainda assim vencê-lo. Sem problemas.

Entrevistador:

– [risos] Então, quando será a luta? Tem alguma ideia? Em qual estágio de preparação você está?

Tyson Fury:

– Me fala você o que você acha.

Entrevistador:

– [risos].

Tyson Fury:

Todo mundo neste lugar sabe mais sobre essa luta do que eu. Dizem que está tudo pronto, tudo assinado, tem data e lugar. Isso é novidade para mim. Eu não sei de nada. Eu não estou treinando agora, parei de treinar, Sugar Hill foi para casa em novembro, Andy Lee foi para casa. Eu preciso descansar mentalmente, fisicamente e emocionalmente.

Entrevistador:

– Você deve ter gasto muito dinheiro, certo?

Tyson Fury:

– Eu gostaria de ganhar dinheiro. Não ganho dinheiro há mais de um ano. Muitas mãos estão sendo estendidas para eu me alimentar. Portanto, dê uma chance ao Tyson Fury aqui. Deixem-me lutar.

Entrevistador:

– Quando foi a última vez que você falou com Bob Arum?

Tyson Fury:

– Ontem. Meu advogado sabe de tudo todos os dias. Ele tem noites sem dormir. Falei com ele esta tarde.

Entrevistador:

– Você já está cansado disso?

Tyson Fury:

– Não estou cansado disso. Isso faz parte do trabalho. Mas como eu disse, não estou treinando agora. Até eu pegar a data e eles falarem que lutarei em junho, por exemplo, lá ou 15 de junho na Antártida, aí voltarei ao campo de treinamento. Eu só preciso de 6 a 7 semanas de treinamento para pegar essas lutas.

Entrevistador:

– [risos]

Tyson Fury:

– Isso é tudo. Eu não preciso de gigantes ou famosos ao meu lado, como fisiculturistas, parceiros de sparring. Tenho meus parceiros catadores locais, bombeiros, homens fortes que são mais que suficiente.

Entrevistador:

– [risos]

Tyson Fury:

– Estou pronto para lutar hoje mesmo. Estou em forma, treinei toda a minha vida.

Entrevistador:

– Você quer outra luta?

Tyson Fury:

– Estou pronto para lutar hoje, amanhã, semana que vem, na outra semana, mês que vem. Estou querendo essa luta há mais de um ano.

Entrevistador:

– Quando foi a última vez que você treinou?

Tyson Fury:

– Ontem. Eu sempre treino. Sparring não é um problema. Se eu não puder lutar por três anos, volto e dou uma lição sobre boxe a Wilder, eu preciso de sparring?

Entrevistador [dirigindo-se a um colega]:

– Ele não parece estar com vontade de beber 12-14 litros de Stella, para ser honesto.

Tyson Fury:

– Que horas são? Agora são 21h30. Se você quiser me encontrar, às 22h30 estarei no bar lá de cima, e aí você vai ver se eu tô ou não falando a verdade.

Entrevistador:

– Você está só zoando com a gente.

Tyson Fury:

Comigo, você nunca sabe se estou dizendo a verdade ou não. Porque quando digo a verdade, as pessoas ainda não acreditam em mim. Você ainda não acredita em mim. A evidência está no rosto. Tudo o que eu disse na minha carreira durante toda a minha vida, eu confirmei. Eu preciso dizer mais?

Entrevistador:

– É verdade. Também não acreditei em você na primeira luta com o Wilder, e na segunda eu achei que seria tolice tentar nocautear um americano. E você não lutou boxe com ele como na primeira luta.

Tyson Fury:

– Vou te dizer por que não boxe com o Wilder na segunda luta. Porque na minha opinião 96% dos golpes do Wilder foram por acaso, foram passando. Eu não poderia fazer melhor fisicamente. Já fiz tudo perfeitamente. Mas eu não ganhei. Portanto, para garantir a vitória desta vez, era preciso se levantar e lutar no seu estilo. A questão era: ou ele ou eu. Se ele me derrotasse, eu diria – beleza, foi justo. Mas não foi assim que funcionou. Eu bati nele e ele teve que chorar como uma garotinha e inventar um milhão de desculpas.

Entrevistador:

– [risos].

Tyson Fury:

– Sem desrespeitar ele, tenho certeza que ele inventou todas essas desculpas, porque talvez um dia ele volte a lutar comigo. Se ele fizer isso, vou destruí-lo completamente, ainda mais fácil do que antes. Dessa vez não houve nem luta de boxe, não houve confronto. Ele me acertou apenas três vezes em 7 round. Desta vez, vou acabar com ele em 1-2 rounds, destruí-lo completamente. Vou cortar ele como uma faca corta a manteiga.